Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Política

Paz no Sahel é inestimável, diz presidente do G5 Sahel

| Editoria Política | 07/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O novo presidente em exercício do G5 Sahel e chefe de Estado burkinabe, Roch Marc Christian Kaboré declarou terça-feira aos seus homólogos do Mali, do Níger, do Tchad e da Mauritânia que "a paz no Sahel é inestimável".

"A paz no Sahel é inestimável e a luta que estamos a travar não é apenas para os países do Sahel, porque o terrorismo não tem fronteiras", afirmou Kaboré.

Ele enfatizou que, apesar dos seus modestos meios e apenas alguns anos de existência, o G5 Sahel se impõe como uma verdadeira força e um meio poderoso de luta contra as múltiplas ameaças de segurança na região, graças aos mecanismos relevantes que foram postos em prática e para os quais os esforços devem ser prosseguidos para melhorar a sua ancoragem e sua  eficiência.

Trata-se, segundo ele, da Força Conjunta, do Grupo de Resposta Rápida e Vigilância do Sahel, do Centro Saheliano de Análise  das Ameaças e  de Alertas Precoce do Sahel (CSAMAP), da Plataforma de Cooperação no domínio de Segurança (PCMS), do Colégio do Sahel de Segurança (CSS), do Colégio Força de Defesa do G5 Sahel (CD-G5S) e da Academia Regional de Polícia, entre outros.

Para Kaboré, estes mecanismos devem ser perfeitamente complementares à Arquitetura Africana de Paz e de Segurança da União Africana (UA) e aos processos de paz e segurança da CEDEAO". O Presidente burkinabe apelou para um apoio contínuo e uma solidariedade sub-regional, regional e internacional  mais forte para os esforços dos países do G5 Sahel.

Ele argumentou que o G5 Sahel deve ser uma resposta adequada, "envolvendo todos esses componentes de nossos Estados para enfrentar vitoriosamente o terrorismo e o desafio do desenvolvimento de seus países".

"Também precisamos de avançar rapidamente numa das áreas prioritárias do nosso combate, que é o desenvolvimento inclusivo, pois,  na evidência, os grupos terroristas exploram a pobreza das nossas populações e prosperam na sua miséria", afirmou o chefe do Estado burkinabe.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade