Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Economia

ONU financia comunidades agrícolas vulneráveis do Congo com Usd 10 milhões

| Editoria Economia | 07/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Fundo de adaptação da Convenção-Quadro das Nações Unidas, relativo às mudanças climáticas, vai financiar, no valor de 10 milhões de dólares americanos, o projecto de reforço das capacidades de adaptação às alterações climáticas das comunidades vulneráveis do Congo, soube-se junto do Ministério congolês da Agricultura e Pecuária.

Para um período de cinco anos, este projecto visará o reforço da segurança alimentar e a nutrição através de medidas de adaptação às mudanças climáticas.

Os membros do Comité Técnico e os diferentes peritos do Sistema das Nações Unidas acabam de emendar a nota conceitual do referido projecto, que se baseia em três componentes, designadamente o reforço das capacidades técnicas, a sensibilização, os serviços climáticos e os meios de subsistência resilientes.

As duas primeiras componentes abrangerão todo o território nacional, enquanto a terceira apenas incidirá sobre os departamentos da Bouenza, Sangha e Likouala.

Cento e trinta e cinco aldeias, nomeadamente, serão visadas. Estas zonas estão expostas a um alto risco climático e possuem um estatuto socioeconómico medíocre, o que denota uma vulnerabilidade crónica.

Com efeito, foram levadas a cabo consultas junto das comunidades agrícolas, no âmbito da elaboração da nota conceitual do projecto, nos meses de Abril e Agosto de 2018, naqueles três departamentos.

As acções do projecto vão contribuir para a redução da vulnerabilidade climática e o reforço das capacidades de adaptação das comunidades locais e população autóctone rural, vulneráveis aos ecossistemas de que dependem, com vista a favorecer a segurança alimentar, a nutrição e combater a pobreza.

Uma vez a nota conceitual aprovada, será analisada pelo Conselho de Administração do Fundo de adaptação em Março próximo.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade