Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Saúde

RDC: Ebola mata 465 e infecta 788 pessoas

| Editoria Saúde | 07/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Na República Democrática do Congo (RDC), o número de pessoas mortas pelo vírus de Ébola subiu para 465 e 788 estão infectadas, indicou nesta quinta-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS).

 Relativamente ao anterior registo, feito a 30 de Janeiro, morreram mais 25 pessoas e as equipas da OMS, do Ministério da Saúde da RDCongo e das organizações não-governamentais diagnosticaram laboratorialmente 45 novos casos de contaminação.

Beni, com 147 mortos, Katwa, com 105; Mabalako, com 71, Butembo, com 54  e Kalunguta, com 34, continuam a ser as localidades da província do Kivu Norte com maiores taxas de mortalidade, devido ao contágio do Ébola, desde que a epidemia foi declarada, a 01 de Agosto passado.

Na província de Ituri, a norte de Kivu Norte, as localidades de Komanda registaram 21 mortos e Mandima 13 desde 01 de Agosto até segunda-feira última.

O Ébola, que se transmite por contacto físico através de fluidos corporais infectados e que provoca febre hemorrágica, surgiu em Mangina, na província de Kivu Norte.

O Governo da RD Congo admitiu que esta epidemia é a maior da história do país, relativamente ao número de mortos e contágios.

A RD Congo já foi atingida nove vezes pelo Ébola, desde a primeira aparição do vírus no país, em 1976.

Em 1995, o vírus provocou a morte a 250 pessoas, na cidade de Kikwit, na província de Kwilu, no sudoeste do país.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade