Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Economia

Togoleses favoráveis ao abandono do franco CFA

| Editoria Economia | 11/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Dois em cada três togoleses, ou seja, 66 porcento da população, concordam com a retirada do seu país do franco CFA, segundo os resultados de uma sondagem divulgados em Lomé.

O inquérito revela que 66 porcento dos togoleses "pensam que o franco CFA favorece mais a França do que aos países-membros da zona franco, como o Togo, e que, por isso, devia ser substituído.

Os pormenores fornecidos pelo inquérito revelam que os mais ricos, os mais instruídos, os urbanos bem como os homens "estão mais dispostos a optar pela saída do franco CFA".

Justificam a sua opinião pelo facto de que "o país vai numa má direcção ou que a situação económica actual do país e as suas condições de vida são péssimas".

O inquérito nota que só 23 porcento dos entrevistados refere que o franco CFA se deve manter em circulação.

As opiniões divergem conforme se trate de homem ou mulher, instruído ou não ou ainda que habita na cidade ou no meio rural.

Segundo a sondagem, 73 porcento de homens contra 58 porcento de mulheres são a favor da saída do franco CFA, enquanto 73 porcento das pessoas que vivem na cidade, contra 61 porcento no meio rural, aderem a esta opinião.

Este inquérito relança o debate sobre o franco CFA, levantado por intelectuais e economistas africanos e, recentemente, por membros do Governo italiano, que pensam que o franco CFA não permite um desenvolvimento dos países-membros da zona franco.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade