Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Política

Etiópia :Conselho de Segurança da UA lamenta "aumento do terrorismo" no Sahel

| Editoria Política | 12/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O comissário da União Africana para Paz e Segurança, Smail Chergui, lamentou na segunda-feira,11, o  aumento do terrorismo no Sahel, e pediu uma intervenção militar para acabar com as suas raízes.

"O terrorismo está em ascensão, quase diariamente com ataques criminosos e terroristas ", disse Chergui  na reunião da UA, em Addis Abeba.

"Os movimentos terroristas estão a  proliferar, enfraquecendo as populações civis e as instituições desses países", acrescentou.

Smail  Chergui disse que a UA " não precisa apenas de uma resposta militar e de segurança, deve também garantir que ninguém seja deixado para trás em termos de desenvolvimento, compromisso político e justiça".  

O comissário da União Africana para Paz e Segurança acrescentou  que "dar emprego aos jovens", passa a  ser uma das soluções.

Segundo Chergui, a combinação de ataques  terroristas, com conflitos interétnicos e conflitos entre comunidades pastorais e agrícolas, "resulta em um nível de violência sem precedentes". "O Sahel está passando por uma situação sem precedentes em termos de desafios de segurança.".

Smail  Chergui também deplorou as dificuldades de financiar a força do G5 Sahel, em que são membros Burkina Faso, Mali, Mauritânia, Níger e Chade.

"As tropas estão prontas, mas o equipamento está faltando", concluiu.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade