Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2019

ANGOLA

A MOCHILA PESADA DA DÍVIDA PÚBLICA NO FUTURO DE ANGOLA

ARGÉLIA

Argelia: A revolução, passo a passo

MOÇAMBIQUE

Ciclone Idai devasta centro de Moçambique

ÁFRICA DO SUL

A Nação Arco-Íris está doente!

SUDÃO

ASCENSÃO E QUEDA DO DITADOR OMAR AL-BECHIR

ANGOLA

Os paradoxos da dívida e o papel da China

ÁFRICA

A soberania monetária e o CFA

MUNDO

Cuidado com os abutres !

Rádio

Publicidade

Saúde

28,4 toneladas de produtos farmacêuticos ilícitos apreendidos no Burkina Faso

| Editoria Saúde | 13/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Uma operação de Polícia levada a cabo, em finais de janeiro último, contra os produtos farmacêuticos ilícitos permitiu a apreensão de 28,40 toneladas desses artigos, depois da identificação e desmantelamento de zonas e redes de tráfico de medicamentos, em Ouagadougou, soube-se segunda-feira, 11, do Ministério da Saúde.

A operação foi levada a cabo conjuntamente pela Polícia, pela Alfândega e pelo Ministério da Saúde, através da Agência Nacional da Regulação Farmacêutica (ANRP).

Segundo a representante da ANRP, Gampini Sandrine Estelle Kouassi, o consumo desses produtos constitui um verdadeiro perigo para as populações.

Para ela, este consumo expõe as populações a doenças tais como as insuficiências renais, as doenças metabólicas e resistências aos antibióticos.

Segundo o delegado principal da Polícia, Boukary Traoré, a operação foi levada a cabo, em Ouagadougou, de 29 de janeiro a 02 de fevereiro de 2019.

"Todas as formas terapêuticas foram atingidas pelo fenómeno, incluindo as vacinas e os medicamentos injetáveis", sublinhou numa nota de informação do Ministério da Saúde.

Para o delegado principal da Polícia, a fraqueza, o pouco interesse pelos controlos dos medicamentos e a porosidade das fronteiras facilitam a circulação espacial dos medicamentos ilícitos.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade