Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Estudos

Moçambique: FAO prevê insegurança alimentar severa

| Editoria Estudos | 20/02/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) estimou na terça-feira,19, que cerca de dois milhões de moçambicanos venham a sofrer de insegurança alimentar severa, até final de Março.

De acordo com o relatório divulgado, a província de Gaza, sul de Moçambique, está a ser a mais afectada, à semelhança de anos anteriores, devido a  seca prolongada, assim como chuvas fortes, descreve a organização.

Os resultados  são "rendimentos agrícolas abaixo da média, particularmente no sul e partes da região central, onde se estima que 815.000 pessoas estejam em situação de insegurança alimentar severa", ou seja, "dificilmente têm o que comer todos os dias".

O documento da FAO prevê que  nos próximos 40 a 50 dias, o número de pessoas com dificuldade em ter alimentos possa chegar a dois milhões.

A praga da lagarta do funil do milho "também afectou significativamente a produção agrícola" e há 90% de probabilidade de Moçambique sofrer com o fenómeno meteorológico El Niño, o que "representa um alto risco para a colheita 2018/19, particularmente em áreas  afectadas pela seca",lê-se .

"Devido a colheitas falhadas, os agregados familiares nestas áreas serão forçados a plantar várias vezes, esgotando as sementes armazenadas", conclui.

No mesmo documento, a FAO estima necessitar de 9,7 milhões de euros para dar resposta à ajuda humanitária em  Moçambique.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade