Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Política

RDC: Partidos de Tshisekedi e Kabila coligam-se no Parlamento

| Editoria Política | 07/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

 

Partido do Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, e do seu antecessor, Joseph Kabila, assinaram acordo de coligação parlamentar, que permite formar Executivo.

Num comunicado conjunto da Mudança de Rumo (CACH na sigla francesa), de Tshisekedi, e da Frente Comum para o Congo (FCC), que tem Kabila como atual líder da maioria parlamentar na Assembleia Nacional, as forças políticas referiram que o acordo foi subscrito "no superior interesse da nação", para que "se preserve a transição histórica e pacífica de poder, que teve lugar a 24 de janeiro", dia em que foi empossado o novo Presidente da RDC.

Salientando que foram desenvolvidas "concertações para resolver a problemática da determinação da maioria parlamentar", o acordo visa "manter o clima de paz, assim como a estabilidade do país, para que possa ser assegurada uma boa governação e se alcance o bem-estar do povo".

Novo Governo

Depois de "debates frutuosos, que se desenrolaram de 04 a 06 de março corrente", os dois partidos acordaram que a FCC "detém, de forma documental, a maioria absoluta na Assembleia Nacional".

FCC e CACH atribuem ao Presidente da RDC a responsabilidade de "formar Governo" e comprometem-se "a governar juntos num quadro de coligação governamental", refere o comunicado, divulgado na quarta-feira, 6 de março.

O Tribunal Constitucional ratificou, em meados de janeiro, a vitória de Félix Tshisekedi, que obteve cerca de 38,57% dos votos, contra 34,86% do candidato do principal partido da oposição, Martin Fayulu, de acordo com os dados provisórios divulgados pelo Comité Eleitoral do país em 10 de janeiro.

Tshisekedi, 55 anos, é o sucessor de Kabila, que presidia aos destinos do país desde 2001.

Esta foi a primeira vez que a RDC conseguiu transferir pacificamente o poder desde a independência do país, a 30 de junho de 1960.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade