Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2019

ANGOLA

A MOCHILA PESADA DA DÍVIDA PÚBLICA NO FUTURO DE ANGOLA

ARGÉLIA

Argelia: A revolução, passo a passo

MOÇAMBIQUE

Ciclone Idai devasta centro de Moçambique

ÁFRICA DO SUL

A Nação Arco-Íris está doente!

SUDÃO

ASCENSÃO E QUEDA DO DITADOR OMAR AL-BECHIR

ANGOLA

Os paradoxos da dívida e o papel da China

ÁFRICA

A soberania monetária e o CFA

MUNDO

Cuidado com os abutres !

Rádio

Publicidade

Política

RDC: Partidos de Tshisekedi e Kabila coligam-se no Parlamento

| Editoria Política | 07/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

 

Partido do Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, e do seu antecessor, Joseph Kabila, assinaram acordo de coligação parlamentar, que permite formar Executivo.

Num comunicado conjunto da Mudança de Rumo (CACH na sigla francesa), de Tshisekedi, e da Frente Comum para o Congo (FCC), que tem Kabila como atual líder da maioria parlamentar na Assembleia Nacional, as forças políticas referiram que o acordo foi subscrito "no superior interesse da nação", para que "se preserve a transição histórica e pacífica de poder, que teve lugar a 24 de janeiro", dia em que foi empossado o novo Presidente da RDC.

Salientando que foram desenvolvidas "concertações para resolver a problemática da determinação da maioria parlamentar", o acordo visa "manter o clima de paz, assim como a estabilidade do país, para que possa ser assegurada uma boa governação e se alcance o bem-estar do povo".

Novo Governo

Depois de "debates frutuosos, que se desenrolaram de 04 a 06 de março corrente", os dois partidos acordaram que a FCC "detém, de forma documental, a maioria absoluta na Assembleia Nacional".

FCC e CACH atribuem ao Presidente da RDC a responsabilidade de "formar Governo" e comprometem-se "a governar juntos num quadro de coligação governamental", refere o comunicado, divulgado na quarta-feira, 6 de março.

O Tribunal Constitucional ratificou, em meados de janeiro, a vitória de Félix Tshisekedi, que obteve cerca de 38,57% dos votos, contra 34,86% do candidato do principal partido da oposição, Martin Fayulu, de acordo com os dados provisórios divulgados pelo Comité Eleitoral do país em 10 de janeiro.

Tshisekedi, 55 anos, é o sucessor de Kabila, que presidia aos destinos do país desde 2001.

Esta foi a primeira vez que a RDC conseguiu transferir pacificamente o poder desde a independência do país, a 30 de junho de 1960.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade