Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Política

Moçambique: PR diz que processo de paz está lento, mas com grande evolução

| Editoria Política | 13/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, afirmou em Maputo que o processo de paz com a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, "está lento", apesar de registar uma evolução "muito grande".

"Embora lento, com uma tendência de evolução muito grande, o processo está a continuar e a caminhar", afirmou Filipe Nyusi, em breves declarações aos jornalistas, à margem de uma sessão do Conselho de Ministros.

De acordo com o chefe de Estado, neste momento os peritos estão a discutir o Desarmamento, Desmobilização e Reintegração dos homens armados da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo).

"A evolução é boa, o trabalho está a andar e não faltarão dificuldades", disse Nyusi.

O presidente moçambicano esclareceu a controvérsia gerada pelas afirmações, na segunda-feira, do ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco, de que o Governo já integrou nas Forças Armadas 400 oficiais da Renamo e que foram depois refutadas pelo principal partido da oposição.

A Renamo acusou o ministro José Pacheco de "mentira grosseira" em relação ao processo de integração de oficiais daquele partido nas Forças Armadas.

O principal partido da oposição espera ainda que o executivo moçambicano aceite a integração de quadros da Renamo nos Serviços de Informação e Segurança do Estado (SISE), a secreta moçambicana.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade