Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Política

Presidente francês em África para reforço dos laços económicos e políticos

| Editoria Política | 13/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O presidente francês, Emmanuel Macron efectua um novo périplo africano, nos próximos dias, que incluirá o Djiibouti, Quénia e Etiópia, país enlutado por uma catástrofe aérea com uma Boeing 737 das linhas aéreas nacionais (Ethiopian Airlines).

A agenda de Macron inclui a sua participação na cimeira anual da ONU sobre o meio ambiente, em Nairobi, bem como a assinatura de contratos económicos com o Quénia e o reforço da cooperação com a Etiópia.

No Djiibouti, ex-colónia francesa do Corno de África, onde a França possuiu uma base militar, o chefe de Estado francês tenciona reforçar os laços económicos, alegadamente para contrariar a crescente influência estratégica da China na região.

No Quénia, onde participa na cimeira anual da ONU sobre questões ambientais, Macron vai assinar um pacote de contratos, no valor de três mil milhões de euros, nos sectores dos transportes, infra-estruturas, energia e da urbanização sustentável.

Esta será a primeira visita de um chefe de Estado francês ao Quénia, desde que o país africano se tornou independente, em 1963.

Na Etiópia, a sua agenda será marcada por uma visita ao complexo religioso da cidade de Labilela, inscrito no património mundial pela UNESCO, em 1978, e também pela assinatura de acordos económicos, assim como a consolidação da cooperação política entre Paris e Addis Abeba.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade