Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Saúde

Zimbabwe: Médicos em greve denunciam morte de pacientes por escassez de medicamentos e equipamentos

| Editoria Saúde | 14/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Os médicos zimbabweanos denunciaram na quarta-feira, 13, que os pacientes do maior hospital público do Zimbabwe estavam a morrer devido à falta de medicamentos e suprimentos básicos.

Num raro protesto da equipa médica, dezenas de médicos fizeram piquetes no lado de fora do hospital Parirenyatwa alegando que só tratariam casos de emergência e pediram ao governo que fornecesse o equipamento necessário para o trabalho.

“ Apenas vejo pacientes, faço um diagnóstico e mando-os embora para que morram”, disse o oncologista ginecologista Bothwell Guzha, acrescentando que o hospital não tinha remédios para tratar doenças oncológicas.

Numa reunião com o ministro da saúde, Obediah Moyo, os médicos enumeraram a falta de analgésicos e seringas e disseram que as enfermeiras precisavam lavar e reutilizar as ligaduras aumentando o risco de infecção.

Os médicos revelaram que Moyo prometeu que o governo aceleraria a compra de equipamentos e outros suprimentos médicos.

No início do ano, os médicos realizaram uma greve de 40 dias, exigindo melhores salários e condições, que prejudicou os hospitais públicos. A greve acabou sem chegar a um acordo e com os médicos a ameaçar outras paragens.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade