Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Economia

Banco Mundial aprova programa de 90 milhões de dólares para Moçambique

| Editoria Economia | 21/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Banco Mundial vai financiar Moçambique com 90 milhões de dólares, no âmbito do programa de gestão de acidentes e riscos (DRM), incluindo a minimização das consequências da passagem do ciclone Idai, que provocou mais de 300 mortos, segundo balanço provisório divulgado pelo Governo moçambicano.

O financiamento, segundo a instituição, foi aprovado na terça-feira,19, e destina-se à implementação do segundo plano DRM (Disaster Risk Management) em Moçambique, para melhorar a eficácia da proteção e ajuda às pessoas perante desastres naturais, incluindo a operacionalização e capitalização do recentemente criado Fundo de Gestão de Desastres e o fortalecimento da prontidão do país para responder a catástrofes e criação de resistência às questões climáticas e reforço e modernização das vulneráveis infraestruturas de educação.

"Quando aprovamos este financiamento, o meu pensamento foi para as famílias que foram vítimas do ciclone Idai e das inundações sazonais no centro de Moçambique. Nós asseguramos que nove milhões de dólares (7,2 milhões de euros) deste financiamento pode ser destinado à emergência, desde que o projeto continue efetivo", realçou Mark Lundell, diretor para Moçambique do Banco Mundial.

"Este programa foi criado precisamente para reforçar a capacidade de resposta rápida do Governo a catástrofes naturais e a criação de resiliência nas comunidadeS face a futuros desastres naturais", adiantou.

As evidências mostram que os que mais sofrem com as consequências das alterações climáticas e dos desastres naturais são os menos preparados e aqueles que têm uma limitada capacidade financeira para lidar com estes problemas, aponta o Banco Mundial, em comunicado.

O Banco Mundial estima que o programa, avaliado em 90 milhões de dólares (72,9 milhões de euros), poderá beneficiar diretamente um total de 3,3 milhões de pessoas, incluindo mulheres e outros grupos vulneráveis, como as crianças, que terão benefícios através do reequipamento das escolas.

A exposição de Moçambique aos efeitos das alterações climáticas, reforça a importância do fortalecimento da resiliência financeira do país, defende o Banco Mundial.

O total de fundos para este programa DRM ascende a 132,27 milhões de dólares (116,5 milhões de euros), dos quais 90 milhões de dólares são assegurados pelo Banco Mundial, através das ações de ajuda ao desenvolvimento. O Global Risk Financing Facility assegura seis milhões de dólares (5,2 milhões de euros) e o Governo de Moçambique garante os restantes 36,27 milhões de dólares (32 milhões de euros).

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, Maláui e Zimbabué já provocou mais de 300 mortos, segundo balanços provisórios divulgados pelos respetivos governos.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade