Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Política

Ex-presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos, libertado

| Editoria Política | 25/03/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O ex-presidente do Conselho de Administração do Fundo Soberano de Angola (FSDA), José Filomeno dos Santos, foi posto em liberdade neste domingo, 24 de maço, após ter estado seis meses em prisão preventiva por ter sido acusado de crimes de associação criminosa, tráfico de influência, burla e branqueamento de capitais.

A soltura do ex-gestor e filho do antigo Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, deveu-se ao fim do prazo da prisão preventiva, uma informação que foi confirmada à imprensa pelo advogado do visado, Benja Satula.

Segundo o Jornal de Angola, uma fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR) afirma que neste processo, José Filomeno dos Santos fica sem nenhuma medida de coação. “O Ministério Público esgotou os prazos para aplicação de qualquer tipo de medida”, refere a fonte.
Entretanto, acrescentou, “Zenu” dos Santos tem interdição de saída do país no processo relacionado com os 500 milhões de dólares, que está em tribunal e aguarda julgamento.

Na passada sexta-feira, 22, a PGR soltou o sócio de Filomeno dos Santos, Jean Claude Bastos de Morais, por ter restituído os activos do Fundo Soberano que se encontravam sob gestão da Quantum Global, empresa de "Zenu".

O empresário jean Claude Bastos era acusado dos mesmos crimes do sócio, mas a PGR retirou-lhe a responsabilidade criminal.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade