Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Sociedade

Timor-Leste doa um milhão de dólares a fundo solidário da CPLP para vítimas do Idai

| Editoria Sociedade | 09/04/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Timor-Leste vai contribuir com um milhão de dólares para o fundo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que visa ajudar as vítimas do ciclone Idai, em Moçambique.

Os valores monetários foram divulgados em Lisboa esta segunda-feira, 8 de avril, durante a assinatura do memorando de entendimento entre a CPLP e o governo moçambicano, segundo o qual o Instituto de Gestão das Calamidades Naturais (IGCN) será o gestor dos recursos.

O dinheiro será canalizado através de uma nova rubrica do fundo especial da CPLP, dedicada aos “apoio à situação de emergência provocada pelo ciclone Idai em Moçambique”, ocorrido a 14 de março e que de acordo com os dados divulgados, causou 602 vítimas mortais, 1.641 feridos e mais de 1,5 milhões de pessoas afectadas.

“ Quando a CPLP decidiu, há uma semana e meia, instituir este apoio especial no âmbito do fundo especial da CPLP, tínhamos em mente não só a situação trágica que estavam a passar os nosso irmãos de Moçambique, mas também a importância de haver um gestor da CPLP nesta hora muito difícil para um dos seus estados-membros fundadores”, declarou o Secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles, após assinar o protocolo.

Por sua vez, o embaixador de Moçambique em Lisboa e representante permanente do país na organização lusófona, Joaquim Bule, agradeceu o gesto da CPLP e garantiu que os gastos serão auditados. “ Há mecanismos que foram instituídos pelo Governo de Moçambique, no sentido de que toda ajuda canalisada para o país no âmbito da emergência está sujeita a auditoria externa”, o que assegura que os fundos serão usados “com a transparência necessária# e que haverá prestação de contas.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade