Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Junho de 2019

ANGOLA

Situação Económica de Angola

ANGOLA

Informação e Percepção da Economia Angolana

ANGOLA

Recordar o passado para encontrar soluções

ÁFRICA

FATALIDADES E ESPERANÇAS DA ECONOMIA AFRICANA

AFEGANISTÃO

LISTA NEGRA DOS SOLDADOS DO PROFETA

ANGOLA

OS DESAFIOS PARA AS ELEIÇÕES DE 2022

ÁFRICA

ADAPTAR OS EXÉRCITOS AFRICANOS AOS NOVOS INIMIGOS

ANGOLA

MPLA - O CONGRESSO DO REJUVENESCIMENTO

Rádio

Publicidade

Política

Washington impõe condições para retirar Sudão da lista negra

| Editoria Política | 17/04/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Washington impõe condições para retirar Sudão da lista negra

Os Estados Unidos disseram na terça-feira,16, que estão prontos para retirar o Sudão de sua lista de países acusados ​​de apoiar o terrorismo, caso, o Conselho Militar de Transição que assumiu o poder na quinta-feira, iniciar uma "mudança fundamental" no Governo.

De acordo com um funcionário do Departamento de Estado dos EUA, o Governo americano renovaram sua disposição para considerar uma possível retirada do Sudão de sua lista negra em conversações com líderes militares que tiraram Al-Bashir do poder.

“As autoridades sudanesas vêm buscando essa retirada há anos, abrindo conversas com Washington. Mas em vão, ”disse o alto funcionáriodos EUA,sob condição de anonimato.

Uma maneira de fazer isso "seria se houvesse uma mudança fundamental na governança e nas políticas e se o Conselho de Transição Militar não apoiar actos de terrorismo internacional agora e oferecer garantias de que não o fará no futuro ", acrescentou.

Após um encontro de negócios que aconteceu dois dias antes, o encarregado disse que os Estados Unidos não pretendem retirar o Sudão da lista negra "nesta fase". E acrescentou que Washington pediu ao Conselho Militar que "aja rapidamente" para incluir civis em um Governo de transição e realizar eleições.

Os Estados Unidos aumentaram desde 1997 as sanções econômicas contra o Sudão, que está na lista negra de "Estados que apoiam o terrorismo" desde 1993.

Em questão, estão as acusações de apoio a grupos jihadistas, ao fundador da Al-Qaeda, Osama Bin Laden que viveu em Cartum entre 1992 e 1996, abusos dos direitos humanos e o conflito em Darfur que fez mais de 300 mil mortos em 2003.

O presidente Omar al-Bashir é o primeiro chefe de Estado a ter um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional, procurado por crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio na região do Sudão ocidental.

O Exército sudanês derrubou o presidente Omar al-Bashir no poder há trinta anos, a 11 de Abril, na sequência de um movimento de protesto popular de escala sem precedentes, e estabeleceu o Conselho Militar de Transição que deve durar dois anos. Mas milhares de manifestantes reivindicaram na terça-feira,16, o estabelecimento imediato de um Governo civil.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade