Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2019

ANGOLA

A MOCHILA PESADA DA DÍVIDA PÚBLICA NO FUTURO DE ANGOLA

ARGÉLIA

Argelia: A revolução, passo a passo

MOÇAMBIQUE

Ciclone Idai devasta centro de Moçambique

ÁFRICA DO SUL

A Nação Arco-Íris está doente!

SUDÃO

ASCENSÃO E QUEDA DO DITADOR OMAR AL-BECHIR

ANGOLA

Os paradoxos da dívida e o papel da China

ÁFRICA

A soberania monetária e o CFA

MUNDO

Cuidado com os abutres !

Rádio

Publicidade

Política

Egipto: Convocado referendo sobre mandato do presidente

| Editoria Política | 18/04/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Cairo - O governo do Egipto convocou nesta quarta-feira um referendo, de 20 a 22 de Abril, para votar uma reforma constitucional que permitiria ao presidente Abdel Fatah Al Sisi governar até 2030.

"O processo de referendo (...) acontecerá de 20 a 22 de Abril", declarou Lashin Ibrahim, presidente da Junta Eleitoral.

A reforma constitucional que permite ao actual presidente  permanecer no poder até 2030 foi na terça-feira aprovada pelo Parlamento.

O texto aumenta o mandato presidencial de quatro para seis anos e autoriza Sisi a tentar mais uma reeleição. O seu actual mandato termina em 2022, mas a reforma aprovada  amplia o período em dois anos. Como teria direito a mais uma reeleição, o estadista poderia ficar no comando do país até 2030.
 
O texto impõe um limite de dois mandatos presidenciais seguidos, mas conta com um artigo especial permitindo uma terceira candidatura do actual chefe de Estado.    
 
Sisi é acusado de perseguir adversários políticos e de implantar um novo regime autocrático no Egipto, já marcado pelos quase 30 anos de Hosni Mubarak no poder.   

A reforma constitucional também estabelece a figura do vice-presidente, recria o Senado e garante uma cota de 25 porcento para mulheres na Câmara.
 
Sisi liderou o golpe militar que derrubou, em 2013, o governo islamista de Mohamed Morsi.
 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade