Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Cultura

Senegal acolhe atelier sobre agricultura na África Ocidental e Central

| Editoria Cultura | 23/04/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Dakar  – Um atelier de validação de um projecto de promoção da agricultura de conservação na África Ocidental e Central decorre desde quarta-feira, em Dakar, no Senegal, com a participação de representantes de vários países e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

O projecto, que foi objecto de um acordo entre o Conselho Ocidental e Central Africano para a Pesquisa (CORAF, sigla em inglês) e a FAO, visa incentivar a produção agrícola em 13 países.

"O projecto vai durar cinco anos e o seu custo financeiro é estimado em 30 milhões de dólares. Após a sua validação, ele será apresentado aos doadores de fundos", indicou à imprensa o representante do secretário executivo do CORAF, Nieyidouba Lamien, à margem da cerimónia de abertura do encontro.

O CORAF indica que a promoção da agricultura de conservação será apoiada por uma mecanização adaptada ao contexto dos produtores dos países em questão e que o objectivo visado através desta prática é fazer dela um modelo de produção agrícola sustentável e "ambiental-inteligente".

A agricultura de conservação permite gerir melhor resíduos das recolhas, aumentar a condutividade hidráulica dos solos aturados, reduzir a erosão do solo, diminuir a evaporação e conservar a humidade no solo, entre outras vantagens.

Esta técnica cultural está em pleno desenvolvimento na África Austral e Oriental enquanto é pouco conhecida na África Ocidental e Central, indica o CORAF.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade