Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Política

Angola conta com apoio do Banco Mundial na realização das autarquias

| Editoria Política | 08/05/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Banco Mundial (BM) comprometeu-se na terça-feira, 7 de maio, no Lubango, província de Huíla, a apoiar o processo de descentralização administrativa em Angola e a ajudar na criação das autarquias locais.

A informação foi avançada após uma audiência do governador em exercício na Huíla, Nuno Mahapi, com a especialista do BM em gestão de Finanças Públicas, Nicoletta Feruglio. No entanto, a natureza do referido apoio não foi especificada, tendo sido apenas dito que, numa primeira fase o trabalho estará direcionado para a identificação e colheita de informações das áreas e temáticas, incluídas no projecto de descentralização.

“A abrangência geográfica ainda não é clara. Estamos è espera que a Assembleia Nacional decida como vai ser o processo e os seus critérios, assim como os municípios que gradualmente serão incluídos na segunda fase”, declarou a especialista do BM, Feruglio.

Segundo ainda Nicoletta Feruglio, a intenção é estender a realidade do país, já que esta é a terceira vez que visita Angola e a primeira que visita Huíla. Das vezes anteriores esteve nas províncias do bengo e de Luanda.

Por sua vez, Mahapi salientou as dificuldades ligadas à seca que a província da Huíla enfrenta nas zonas ligadas ao projecto de Calahari, no município dos Gambos, no sul 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade