Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Política

África do Sul: Partido no poder lidera contagem de votos

| Editoria Política | 09/05/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

 O Congresso Nacional Africano (ANC, sigla em inglês), partido no poder, lidera a contagem dos votos na África do Sul, com 50.42%, seguido do DA (Aliança Democrática), anunciou na quarta-feira,08, a Comissão Eleitoral Independente.

A Comissão Eleitoral Independente anunciou os primeiros resultados das eleições gerais na África do Sul, às 00:00 (local) na pequena municipalidade de Mzimvubu, província do Cabo Oriental, génese do Congresso Nacional Africano, onde votaram apenas 24 eleitores.

Com um total de 133.409 votos contados, 1.818 nulos e 131.591 validados na contagem pela Assembleia Nacional, o ANC, lidera a contagem com 50.42%, seguido do DA (Aliança Democrática), maior partido na oposição, com 30.80%, e do EFF (Economic Freedom Fighters), esquerda radical, com 5.91%.

A nível provincial, o DA lidera em Gauteng (motor da economia nacional), envolvente a Joanesburgo e Pretória, com 38.96%, seguido do ANC (30.93%) e do VF Plus (15.22%).

O DA lidera ainda no Cabo Ocidental com 58.82%, seguido do ANC (23.86%) e do EFF (3.50%).

Cerca de 28 milhões de eleitores decidem pela sexta vez desde o fim do “apartheid” em 1994, o futuro político da África do Sul, após uma década de fraco crescimento económico, aumento da corrupção no Estado e tensões raciais.

O presidente Cyril Ramaphosa, de 66 anos, disse que "os resultados da votação fornecerão um incentivo significativo para atrair a confiança dos investidores".

Por sua vez, o líder da Aliança Democrática (DA),  Mmusi Maimane,  disse "Vamos mudar as coisas". "Se você precisa de uma mudança, a EFF é a solução", acrescentou o lutador pela liberdade econômica (EFF), Julius Malema.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade