Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Política

PR da Guiné-Bissau visita Guiné Equatorial e Nigéria

| Editoria Política | 11/06/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, inicia esta terça-feira uma visita de trabalho à Guiné Equatorial, onde vai participar, com outros chefes de Estado e representantes da comunidade internacional, num encontro que visa recapitalizar o fundo fiduciário da FAO.

De Malabo, o chefe de Estado guineense desloca-se para Abuja, a convite do seu homólogo nigeriano, Muhammadu Buhari, para participar no "Dia da Democracia", que se assinala quarta-feira. na Nigéria, devendo regressar a Bissau na quinta-feira.

A viagem do Presidente guineense ocorre numa altura em que a Guiné-Bissau vive um novo impasse político.

Três meses depois das legislativas de 10 de Março, o Presidente guineense continua sem indigitar o primeiro-ministro e nomear o novo Governo, alegando o impasse para eleição da mesa da Assembleia Nacional Popular (parlamento), que teve início após a tomada de posse dos novos deputados, a 18 de Abril.

Depois de Cipriano Cassamá, do PAIGC, ter sido reconduzido no cargo de presidente do parlamento, e Nuno Nabian, da APU-PDGB, ter sido eleito primeiro vice-presidente, a maior parte dos deputados votou contra o nome do coordenador do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), Braima Camará, para segundo vice-presidente do parlamento.

O Madem-G15 recusou avançar com outro nome para cargo e apresentou uma providência cautelar para anular a votação, mas que foi recusada pelo Supremo Tribunal de Justiça.

Por outro lado, o Partido de Renovação Social (PRS) reclama para si a indicação do nome do primeiro secretário da mesa da assembleia.

O parlamento da Guiné-Bissau está dividido em dois grandes blocos, um, que inclui o PAIGC (partido mais votado nas legislativas, mas sem maioria), a APU-PDGB, a União para a Mudança e o Partido da Nova Democracia, com 54 deputados, e outro, que juntou o Madem-G15 (segundo partido mais votado) e o PRS, com 48.

O Presidente guineense termina o seu mandato a 23 de Junho.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade