Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Política

Líbia: primeiro-ministro Sarraj anuncia iniciativa para sair da crise

| Editoria Política | 17/06/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O primeiro-ministro Líbio, Fayez al-Sarraj anunciou no domingo,16, uma iniciativa política que inclui eleições antes do final do ano, para livrar o país da profunda crise que vive.

"Partindo da minha responsabilidade nacional e apesar da brutal ofensiva que vamos continuar a empurrar para trás (...) e superar, apresento hoje uma iniciativa política para sair da crise", disse Fayez al-Sarraj, através do canal televisivo "Líbia al-Wataniya".

Em coordenação com a Missão de Apoio da ONU na Líbia (Manul), Fayez Sarraj propôs a realização de um "fórum da Líbia" para reunir "forças nacionais políticas e socialmente influentes e partidárias", uma solução que considera “pacífica e democrática ".

Esta iniciativa também prevê a realização simultânea de "eleições presidenciais e legislativas antes do final de 2019", apesar de não apresentar uma data.

Depois de mais de dois meses de ofensiva para tomar a capital Trípoli, as forças do autoproclamado "Exército Nacional da Líbia" (ANL), de marechal Haftar, ainda estão bloqueadas nos portões de Trípoli.

A "mentira do seu exército foi quebrada, assim como a de sua entrada triunfal em Trípoli que ele apresentou como uma caminhada de dois dias", acrescentouFayez al-Sarraj.

"Estamos confiantes de que nossas forças são capazes de repelir o agressor e mandá-lo de volta de onde ele veio. A vitória é nossa aliada, graças a Deus", disse.

Ambos os lados até agora se recusaram a negociar um cessar-fogo.

Por sua vez, o marechal Haftar afirmou que está lutando contra "terroristas" e se recusa a voltar atrás.

 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade