Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Sociedade

Angola e República Democrática do Congo unem-se no combate ao crime

| Editoria Sociedade | 20/06/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

As autoridades administrativas e policiais da província de Cabinda em Angola e do território do Muanda, na RDC, reuniram-se para definirem estratégias comuns de combate ao crime organizado e transfronteiriço entre as duas regiões.

O encontro que decorreu no posto fronteitiço do Yema, situado a 18 quilómetros a sul da cidade de Cabinda, foi orientado pelo administrador municipal de Cabinda, José Mangovo Tomé e pelo administrador do Muanda e representante do governador da provícia do Congo Central, Roger Mbala Kupa. Estiveram ainda presentes na conferência representantes de vários órgãos da polícia das duas regiões vizinhas.

“Este combate deve ser desenvolvido sem tréguas e gostaríamos de pedir que desencorajem os cidadãos à prática desses crimes. Isto só pode ocorrer efectivamente quando os dois Estados e Governos e seus dirigentes cooperarem”, defendeu Mangovo Tomé, acrescentando que para haver uma cooperação efectiva entre as duas regiões ´é preciso atingir uma boa relação em termos de trocas de informação.

“As nossas populações devem cooperar com os respectivos governos, prestando a melhor informação fidedigna possível”, salientou, tendo partilhado também sua preocupação em relação ao fenómeno da imigração ilegal e apelou às autoridades congolesas para imprimirem mais controlo e aplicarem medidas adequadas para desencorajarem os seus cidadãos a imigrarem para Angola, de modo a reverter o quadro migratório preocupante na província de Cabinda.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade