Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Economia

Nigéria anuncia adesão ao acordo de livre-comércio em África

| Editoria Economia | 03/07/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A Nigéria, maior economia de África anunciou na terça-feira,02, que vai aderir ao Acordo de Livre-Comércio Continental Africano (AfCFTA, sigla em inglês), que pretende criar uma zona de comércio livre nos 55 países da União Africana (UA).

“A Nigéria vai aderir ao acordo AfCFTA, após extensas consultas internas, e está focada em aproveitar as negociações em andamento para garantir a salvaguarda necessária contra o tráfico, o ‘dumping’ e outras ameaças”, referiu a presidência nigeriana na rede social Twitter.

O comissário da União Africana para o Comércio e Indústria, Albert Muchanga, congratulou-se com esta confirmação oficial. “É um desenvolvimento positivo e importante. “O mercado para toda a África começa a tomar forma ”, disse.

O referido acordo será assinado na próxima cimeira extraordinária da União Africana a decorrera 07 de Julho em Niamey, Níger, altura em queentra oficialmente em vigor o AfCFTA.

O Acordo de Livre-Comércio Continental Africano entrou em vigor a 30 de Maio, depois de ter sido ratificado inicialmente por 24 países e tem como objectivo a liberalização de serviços de mercadorias e eliminar as tarifas aduaneiras em 90% dos produtos.

O AfCFTA permitirá criar em várias fases, o maior mercado do mundo com um Produto Interno Bruto (PIB) acumulado a ascender a 2,5 biliões de dólares.

A Nigéria, Benim e Eritreia não assinaram ainda o acordo mas entre os países que o ratificaram contam-se potências comerciais como a África do Sul, Quénia e Egipto.

Entre os países lusófonos, o acordo foi apenas ratificado por São Tomé e Príncipe.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade