Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Política

Ministra dos Exércitos da França visita República Centro-Africana

| Editoria Política | 08/07/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A ministra francesa das Forças Armadas, Florence Parly, chegou a Bangui nesta segunda-feira (8) "para discutir a situação de segurança" do país, assolado por persistente violência.

Florence Parly se reunirá com o presidente Faustin-Archange Touadéra e com a Ministra da Defesa da África Central, Marie-Noëlle Koyara, para discutir a situação de segurança e os esforços da comunidade internacional sob os auspícios da ONU e da União Africanapara lidar com isso.

De acordo com o Ministério das Forças Armadas da França na agenda de discussões estão "os passos dados pela França para facilitar o embargo de armas e facilitar o equipamento das forças armadas da África Central responsáveis ​​pela restauração da autoridade do Estado da África Central".

A França, que interveio na República Centro-Africana entre 2013 e 2016 (operação "Sangaris"), para pôr fim à violência entregou 1.400 fuzis de assalto às Forças Armadas da África Central (FACA).

A ministra francesa também vai assistir a aquisição pela França da missão EUTM-RCA (Missão de Formação da União Europeia), que trabalha para a formação do FACA.

A França tem hoje cerca de 300 soldados franceses na República Centro-Africana que realizam actividades de treinamento para as forças armadas nacionais e fornecem apoio à força da ONU, a Minusca, que tem 13 mil homens.

O acordo de paz de Cartum assinado em Fevereiro entre catorze grupos armados e o governo é o oitavo alcançado desde 2013. No entanto, as violações do acordo de paz são cometidas por grupos armados todos os dias, informou o enviado da ONU na RCA, Mankeur Ndiaye.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade