Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Política

Portugal vai candidatar formação de quadros angolanos a fundos da EU

| Editoria Política | 10/07/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O ministro-adjunto da Economia de Portugal, Pedro Siza Vieira, deslocou-se a Angola para participar na segunda reunião do observatório de investimento bilateral.

Segundo o político, os dois países estão a trabalhar em conjunto na área da formação. “Hoje temos uma cooperação ao nível da capacitação técnica, da formação de quadros, que estamos a trabalhar muito de perto e que, inclusivamente, vamos candidatar a financiamentos da União Europeia para que esses processos de formação tenham os recursos financeiros suficientes para que tudo corra pelo melhor”, declarou Siza Vieira.

Apesar de ainda não terem sido divulgados os números sobre o volume de investimento bilateral já feito ou em curso, o ministro da Economia e Planeamento de Angola, Pedro Luís da Fonseca, disse que os resultados são animadores.

“Nós inaugurámos um novo ciclo nas nossas relações, fazendo a primeira reunião do observatório do investimento privado em Portugal de angolanos e de portugueses em Angola. Passámos em revista o estado desta cooperação e podemos dizer que os resultados que apreciamos em conclusão são francamente animadores”, disse Pedro Luís da Fonseca.

A partir de agora, os dois países vão poder acompanhar as intenções de investimento que forem surgindo.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade