Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Economia

Angola: Focus Economics prevê estagnação económica este ano

| Editoria Economia | 22/07/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A consultora espanhola, Focus Economics, reviu em baixa a previsão de crescimento para Angola, antecipando uma estagnação económica e considerando "cada vez mais improvável que o país recupere este ano da prolongada recessão" devido à evolução do sector petrolífero.

"Parece cada vez mais improvável que a economia de Angola consiga recuperar de uma prolongada recessão este ano. A crónica dependência do sector petrolífero vai pesar no crescimento, num contexto de queda do consumo interno e preços globais do petróleo incertos", escreveram os analistas da FocusEconomics no seu mais recente relatório sobre as economias africanas.

No relatório, enviado aos clientes, a consultora diz esperar "que o PIB registe um crescimento zero este ano, menos 0,2 pontos percentuais do que a estimativa do mês passado", e que em 2020 a economia regresse ao crescimento, com uma expansão de 1,6% do PIB.

A economia, afirmam, "parece ter perdido fôlego de forma significativa no primeiro trimestre, devido à deterioração no sector do petróleo", lembrando que "a produção de petróleo continuou a cair nos primeiros três meses, mais do que compensando os preços mais altos do crude a nível mundial".

O mesmo aconteceu com as exportações que "consequentemente contraíram-se de forma notável, o que juntamente com o aumento das importações quase que apagou por completo o excedente da balança corrente no primeiro trimestre".

Assim "o quadro parece ter continuado sombrio". Com a actividade nos sectores petrolífero e não petrolífero em queda, "a actividade afundou-se ainda mais em território negativo em Abril, indiciando uma deterioração da dinâmica no princípio do trimestre", conclui a FocusEconomics.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade