Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Política

Gâmbia: Nomeia ministro da Defesa o primeiro em 22 anos

| Editoria Política | 23/08/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O presidente da Gâmbia, Adama Barrow, reformulou o seu governo na quinta-feira, 22, nomeando um ministro da Defesa pela primeira vez em 22 anos, anunciou a Presidência da República.

Omar Faye, antigo chefe da polícia do país e cônsul geral de Gâmbia em Jeddah, na Arábia Saudita é o novo o ministro da Defesa.

Desde 1997, primeiro sob o comando de Yahya Jammeh que liderou esse pequeno país da África Ocidental de 1994 a 2017, e depois com o seu sucessor, Adama Barrow, as prerrogativas de O Ministério da Defesa foram directamente exercidos pelo presidente.

Faye seguiu a carreira militar até 1994 quando deixou a Gâmbia para os Estados Unidos. Retornando à Gâmbia em 2005, tornou-se chefe das comunicações no gabinete do presidente Jammeh, então Ministro da Juventude e Desportos, antes de ser nomeado embaixador em Washington.

O activista dos direitos humanos da Gâmbia, Madi Jobarteh, saudou a nomeação de um ministro da Defesa, mas disse que "a escolha de Faye é um passo para trás" se considerarmos que ele " apoiou fundamental a ditadura na Gâmbia ".

O defensor dos direitos humanos também descreveu a designação de Yankuba Sonko ao cargo de ministro do Interior como sendo uma amostra do presidente Barrow de "usar a violência para negar os direitos e liberdades fundamentais ".

Yankuba Sonko foi Inspector-geral de Polícia durante a repressão de 14 de Abril de 2016 que culminou com a morte de Solo Sandeng, líder da oposição que pedia  reforma eleitoral em Serrekunda, um subúrbio da capital.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade