Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Cultura

Koffi Olomide ouvido pelo Comitê da Censura da RDC

| Editoria Cultura | 27/09/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O astro da música   congolesa, Koffi Olomide, apareceu em Kinshasa na quarta-feira (25 de Setembro) diante do Comitê Nacional de Censura de Músicas e Apresentações da República Democrática do Congo (RDC) que proibiu a transmissão de várias de suas músicas no país.

 Olomide foi ouvido por dois funcionários desta comissão durante uma investigação nas instalações do Ministério da Justiça. "Não o ouvimos no registro porque ele está doente, mas ele voltará a aparecer novamente", disse Didier Kelekelo, director da comissão de censura.

Oito canções da estrela foram proibidas de transmitir, por falta de obtenção de "uma autorização prévia por escrito".

"Em princípio, ele deve depositar os suportes de suas músicas incriminadas para validação, o que ele não fez. Exigia um mandado para obrigá-lo a responder às acusações contra ele ", disse Kelekelo após a reunião com Olomide acompanhado de seu advogado.

O músico que se tornou o pai da rumba congolesa desde a morte de Papa Wemba, em 2016, deixou o ministério como um homem livre, sem comentários.

Oito canções de Koffi Olomide foram proibidas de "transmitir" e "apresentar ao público", de acordo com uma carta da comissão de censura enviada em 13 de Setembro aos canais de televisão e estações de rádio. Esta comissão censura o artista por não ter respondido aos seus "convites". Segundo o texto, "essa atitude mostra falta de consideração e civilidade por parte do artista, que parece ser reincidente nesse tipo de comportamento".

Todos os músicos congoleses devem solicitar "autorização prévia por escrito" da comissão antes da transmissão de suas obras. A norma foi estabelecida por uma lei de 1996, a comissão pretende evitar incitação ao "ódio racial ou tribal" ou ofensas à moral ( "devassidão, prostituição, divórcio, delinquência" ).

Em 20 de Setembro, em entrevista à AFP, Olomide denunciou a proibição de suas oito músicas e pediu às novas autoridades que lutassem contra "abusos de poder" na RDC

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade