Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Saúde

África do Sul: Número de adolescentes com HIV aumenta dez vezes

| Editoria Saúde | 02/10/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O número de adolescentes de 15 a 19 anos tratados com HIV aumentou dez vezes na África do Sul na última década. Menos da metade dos que se apresentam para o tratamento iniciam-o , informaram na quarta-feira (02) os pesquisadores da  revista The Lancet HIV.

A África do Sul é considerada o país com o maior número de pessoas vivendo com  HIV, aproximadamente 7,2 milhões. 

Em 2016, cerca de 10,2 milhões de adolescentes de 10 a 19 anos viviam neste país.

 "A luta contra a epidemia na África do Sul exigirá uma expansão significativa do tratamento de adolescentes para interromper os ciclos de transmissão do HIV e alcançar a promessa de uma geração sem  SIDA", alertam pesquisadores da  revista "The Lancet HIV"que publicou o seu estudo nesta quarta-feira(03).

Os autores analisaram dados de 730.882 pacientes com idade entre 1 e 19 anos que participaram do programa de HIV entre 2005 e 2016. Entre os pacientes infectados antes dos 15 anos de idade, 54% eram meninas (209.205 pacientes).As infecções foram contraídas durante o nascimento ou durante a amamentação envolvendo aproximadamente o mesmo sexo.

Entre os pacientes de 15 a 19 anos (301.242 pacientes), 88% igualmente eram mulheres. Estes últimos, de facto, têm taxas muito mais altas de infecção sexual e demandas por cuidados do que homens jovens, refere o estudo.

A proporção de adolescentes seropositivos que deram início ao tratamento é menor do que em crianças. Apenas 45% das meninas de 15 a 19 anos e 42% dos meninos seropositivos iniciaram o tratamento, em comparação com 68% das meninas e 69% dos meninos de 1 a 4 anos. 

número de jovens de 15 a 19 anos que iniciaram o tratamento anti-retroviral aumentou de 7.949 pacientes entre 2005 e 2008 para 80.918 entre 2013 e 2016. O aumento do número de adolescentes em tratamento deve-se em parte ao sucesso do programa anti-retroviral na África do Sul.

Segundo os pesquisadores, esses resultados ressaltam "a importância de preparar os sistemas de saúde da África do Sul para fornecer atendimento eficaz ao HIV a um número crescente de adolescentes".

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade