Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Política

Moçambique: Guerrilheiros islâmicos mortos em combate com exército

| Editoria Política | 09/10/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Nove combatentes islâmicos foram mortos na semana passada no extremo norte de Moçambique durante confrontos violentos com o exército, anunciou o Ministério da Defesa de Moçambique em comunicado  no dia 08 de Outubro.

Esta declaração oficial é a primeira em que as autoridades de Maputo reconhecem que combatem contra o misterioso grupo jihadista que espalha terror há dois anos na província de Cabo Delgado.

Os confrontos "contra os autores" ocorreram no sábado último e "resultaram na eliminação de nove" soldados, disse o ministério.

A acção "resultou no aniquilamento de um número considerável de malfeitores, destruição do acampamento e fuga desordenada dos mesmos", acrescentou o ministério.

Segundo fontes locais, a operação do exército atacou um campo jihadista nas florestas perto da vila de Mitope, no distrito de Mocimboa da Praia.

"Este lugar é considerado a base insurgente mais importante da região", disse uma fonte local à AFP.

"Os rebeldes revidaram e mataram um cidadão russo que acompanhava as tropas do governo", disse uma autoridade local à AFP sob condição de anonimato.

 Em 2018, Moçambique  assinou um acordo com Moscovo sobre o envio de conselheiros militares russos para este país, onde eles foram muito activos durante a era soviética.

Desde o mês passado, a media local relatou a presença de militares russos, incluindo helicópteros, em Cabo Delgado. O Ministério da Defesa de Moçambique recusou-se a confirmar essa informação.

Questionado na terça-feira sobre a morte de um soldado russo em Moçambique, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, negou qualquer envio de tropas de seu país. "Não há soldados russos lá", disse Peskov a repórteres.

As eleições gerais em Moçambique estão agendadas para 15 de Outubro, data em que o presidente moçambicano Filipe Nyusi e o seu partido, Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo, que governa desde a independência em 1975), vão às urnas para manter o poder.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade