Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Sociedade

Cunene: PR aprova projectos para seca no valor de USD 760 milhões

| Editoria Sociedade | 16/10/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, aprovou seis contratos para execução de projectos estruturantes no combate à seca no Cunene, sul do país, incluindo duas barragens, no valor de 760 milhões de dólares (689 milhões de euros).

De acordo com o despacho presidencial publicado no Diário da República, datado de 04 de Outubro, o concurso público para estes projectos foi dividido em seis lotes, dos quais cinco foram atribuídos a empresas chinesas e um sexto a um consórcio que integra a empresa portuguesa Mota-Engil.

No despacho, o Presidente da República o recorda que os recentes ciclos de seca na província do Cunene tiveram um impacto negativo sobre os sectores de subsistência primários e afectaram as actividades agrícolas, pecuárias e os recursos hídricos.

O consórcio Omatapalo e Mota-Engil que conta com uma participação de 50%, será responsável pela construção da barragem de Calacuve, orçada em 177 milhões de dólares (160,5 milhões de euros).

O grupo chinês Sinohydro Angola vai construir um sistema de captação no rio Cunene e dez chimpacas (pequeno lago artificial), no valor de 66 milhões de dólares (59,8 milhões de euros), dois canais adutores e outras 20 chimpacas estimados em 70 milhões de dólares (63,4) e a barragem de Ndúe, por 192 milhões de dólares (174,1).

O contrato avaliado em  63 milhões de dólares que vai ser celebrado com a China Road Bridge Corporation prevê a construção do canal adutor associado à barragem de Calucuve e 44 chimpacas.

A empresa chinesa de água Guangxi  Hydroelectric  Construction Bureau Angola (GHCB) vai construir o canal adutor associado à barragem Ndúe e 15 chimpacas, um investimento de 192 milhões de dólares.

 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade